segunda-feira, 8 de setembro de 2008

Quando Estou Só Reconheço


Quando estou só reconheço
Se por momentos me esqueço
Que existo entre outros que são
Como eu sós, salvo que estão
Alheados desde o começo.

E se sinto quanto estou
Verdadeiramente só,
Sinto-me livre mas triste.
Vou livre para onde vou,
Mas onde vou nada existe.

Creio contudo que a vida
Devidamente entendida
É toda assim, toda assim.
Por isso passo por mim
Como por cousa esquecida.

Fernando Pessoa

2 comentários:

Ana disse...

A vida é toda assim..toda assim...belíssima imagem...parece infinita, vista desta forma...um imenso mar...

Ana disse...

"E penso se a minha voz, aparentemente tão pouca coisa, não encarna a substância de milhares de vozes, a fome de dizerem-se de milhares de vidas, a paciência de milhões de almas submissas como a minha ao destino quotidiano, ao sonho inútil, à esperança sem vestígios."

BERNARDO SOARES, in "Livro do Desassossego"

Excelente escolha!!