sexta-feira, 26 de setembro de 2008

Tudo o Que Sou Não é Mais Do Que Abismo


Tudo o que sou não é mais do que abismo
Em que uma vaga luz
Com que sei que sou eu, e nisto cismo,
Obscura me conduz.

Um intervalo entre não-ser e ser
Feito de eu ter lugar
Como o pó, que se vê o vento erguer,
Vive de ele o mostrar.


Fernando Pessoa

2 comentários:

Ana disse...

"Nós nunca nos realizamos.
Somos dois abismos - um poço fitando o céu."

Bernardo Soares, in "Livro do Desassossego"

Ana disse...

muito forte!!! é sempre assim por aqui!