terça-feira, 30 de Setembro de 2008

Goodbye



May the road rise up to meet you, may the wind be ever at your back. May the sun shine warm upon your face and the rain fall softly on your fields.

And until we meet again, May God hold you in the hollow of his hand.


Irish blessing

The Smashing Pumpkins - The End Is the Beginning Is the End



Take Two

sábado, 27 de Setembro de 2008

sexta-feira, 26 de Setembro de 2008

Tudo o Que Sou Não é Mais Do Que Abismo


Tudo o que sou não é mais do que abismo
Em que uma vaga luz
Com que sei que sou eu, e nisto cismo,
Obscura me conduz.

Um intervalo entre não-ser e ser
Feito de eu ter lugar
Como o pó, que se vê o vento erguer,
Vive de ele o mostrar.


Fernando Pessoa

Supermassive Black Hole - Muse

quinta-feira, 25 de Setembro de 2008

quarta-feira, 24 de Setembro de 2008

Exchange


"If you have an apple and I have an apple and we exchange these apples then you and I will still each have one apple. But if you have an idea and I have an idea and we exchange these ideas, then each of us will have two ideas."

George Bernard Shaw

Deftones - Change (In The House Of Flies)

Change


"Change alone is unchanging."


Heraclitus

terça-feira, 23 de Setembro de 2008

segunda-feira, 22 de Setembro de 2008

Múm - Green Grass Of Tunnel

Possibilities



I prefer movies.
I prefer cats.
I prefer the oaks along the Warta.
I prefer Dickens to Dostoyevsky.
I prefer myself liking people
to myself loving mankind.
I prefer keeping a needle and thread on hand, just in case.
I prefer the color green.
I prefer not to maintain
that reason is to blame for everything.
I prefer exceptions.
I prefer to leave early.
I prefer talking to doctors about something else.
I prefer the old fine-lined illustrations.
I prefer the absurdity of writing poems
to the absurdity of not writing poems.
I prefer, where love's concerned, nonspecific anniversaries
that can be celebrated every day.
I prefer moralists
who promise me nothing.
I prefer cunning kindness to the over-trustful kind.
I prefer the earth in civvies.
I prefer conquered to conquering countries.
I prefer having some reservations.
I prefer the hell of chaos to the hell of order.
I prefer Grimms' fairy tales to the newspapers' front pages.
I prefer leaves without flowers to flowers without leaves.
I prefer dogs with uncropped tails.
I prefer light eyes, since mine are dark.
I prefer desk drawers.
I prefer many things that I haven't mentioned here
to many things I've also left unsaid.
I prefer zeroes on the loose
to those lined up behind a cipher.
I prefer the time of insects to the time of stars.
I prefer to knock on wood.
I prefer not to ask how much longer and when.
I prefer keeping in mind even the possibility
that existence has its own reason for being.



Wislawa Szymborska

domingo, 21 de Setembro de 2008

Sigur Rós - Svefn-G-Englar

Dúvida

Não há nada mais triste
do que um cão em guarda
ao cadáver de seu dono.

Eu não tenho cão.
Será que ainda estou vivo?


José Paulo Paes

sábado, 20 de Setembro de 2008

Não Sei o Quê Desgosta


Não sei o quê desgosta
A minha alma doente.
Uma dor suposta
Dói-me realmente.

Como um barco absorto
Em se naufragar
À vista do porto
E num calmo mar,

Por meu ser me afundo,
Pra longe da vista
Durmo o incerto mundo.


Fernando Pessoa

sexta-feira, 19 de Setembro de 2008

quinta-feira, 18 de Setembro de 2008

Pixies - Dead

David and Bathsheba

Jan Massys - 1562
you crazy babe bathsheba, i wancha
you're suffocating you need a good shed
i'm tired of living, shebe, so gimme
dead

we're apin' rapin' tapin' catharsis
you get torn down and get erected
my blood is working but my, my heart is
dead

hey
whaddyah know?
you're lovely
tan belly
is starting to grow

uriah hit the crapper, the crapper
uriah hit the crapper, the crapper
uriah hit the crapper, the crapper
dead

"Dead" - Pixies

segunda-feira, 15 de Setembro de 2008

domingo, 14 de Setembro de 2008

Eu Servi o Rei De Inglaterra


Uma Voz Na Pedra


Não sei se respondo ou se pergunto.
Sou uma voz que nasceu na penumbra do vazio.

Estou um pouco ébria e estou crescendo numa pedra.
Não tenho a sabedoria do mel ou a do vinho.
De súbito, ergo-me como uma torre de sombra fulgurante.
A minha tristeza é a da sede e a da chama.
Com esta pequena centelha quero incendiar o silêncio.
O que eu amo não sei. Amo. Amo em total abandono.
Sinto a minha boca dentro das árvores e de uma oculta nascente.
Indecisa e ardente, algo ainda não é flor em mim.
Não estou perdida, estou entre o vento e o olvido.
Quero conhecer a minha nudez e ser o azul da presença.
Não sou a destruição cega nem a esperança impossível.
Sou alguém que espera ser aberto por uma palavra.

António Ramos Rosa

sábado, 13 de Setembro de 2008

Ren & Stimpy - Happy, Happy, Joy, Joy

Retrato Para Ser Visto De Longe


Sou um ser, o outro é metade
que não sabe de onde veio.
Sou treva, sou claridade.
Solidão partida ao meio
e entre os dois a eternidade.

Sei quem sou, não me conheço.
Parado, estou sempre indo
para um país sem regresso.
Sou fonte e estou me esvaindo,
fluir sem fim nem começo.

Coração partido ao meio,
pulsando em cada metade.
O lirismo do espantalho
a espuma do devaneio.
Entre os dois a eternidade.


Francisco Carvalho

sexta-feira, 12 de Setembro de 2008

Kings Of Convenience ----------------------------------- I Don't Know What I Can Save You From

Viceversa


Tengo miedo de verte
necesidad de verte
esperanza de verte
desazones de verte.
Tengo ganas de hallarte
preocupación de hallarte
certidumbre de hallarte
pobres dudas de hallarte.
Tengo urgencia de oírte
alegría de oírte
buena suerte de oírte
y temores de oírte.
o sea,
resumiendo
estoy jodido
y radiante
quizá más lo primero
que lo segundo
y también
viceversa.

Mario Benedetti

quinta-feira, 11 de Setembro de 2008

quarta-feira, 10 de Setembro de 2008

Education


"Education is the ability to listen to almost anything without losing your temper."

Robert Frost

terça-feira, 9 de Setembro de 2008

Pixies - Velouria



hold my head
we'll trampoline
finally through the roof
on to somewhere near
and far in time
Velouria
her covering
travelling career
she can really move
oh velveteen!

my Velouria, my Velouria
even I'll adore ya
my Velouria

say to me
where have you been
finally through the roof
and how does lemur skin
reflect the sea?

we will wade in the shine of the ever
we will wade in the shine of the ever
we will wade in the tides of the summer
every summer
every summer
every
my Velouria
my Velouria

forevergreen
I know she's here
in California
I can see the tears
of Shasta sheen

my Velouria, my Velouria
even I'll adore ya
my Velouria

No Hay Tiempo Si En El Agua De Diamante


No hay tiempo si en el agua de diamante
que roza nuestros cuerpos
tú y yo nos sumergimos : el agua tuya con el agua mía
de tu boca , y apenas el hundir
de los secretos labios en el mar.
Sólo tu piel abierta
como la abierta noche de la noche
donde tus muslos amanecen.
Y el silencio en los olivos.

Miguel Arteche

segunda-feira, 8 de Setembro de 2008

Quando Estou Só Reconheço


Quando estou só reconheço
Se por momentos me esqueço
Que existo entre outros que são
Como eu sós, salvo que estão
Alheados desde o começo.

E se sinto quanto estou
Verdadeiramente só,
Sinto-me livre mas triste.
Vou livre para onde vou,
Mas onde vou nada existe.

Creio contudo que a vida
Devidamente entendida
É toda assim, toda assim.
Por isso passo por mim
Como por cousa esquecida.

Fernando Pessoa

Repórter Estrábico - Malditos Headphones

domingo, 7 de Setembro de 2008

Ladytron - Versus



Distance versus time,
cutting verses down to size.
Focus versus tears versus
"How did I get here's"
versus curses in your eyes

Force of nature versus range,
nature versus what is strange
"There's a fire starting here"
versus "There's nothing to fear"
versus lonely versus safe

Like a kitten versus rain
A cathedral versus love versus shame
Free versus hard to see
versus, versus, versus me versus me

Romance do Terceiro Oficial de Finanças


Ah! as coisas incríveis que eu te contava
assim misturadas com luas e estrelas
e a voz vagarosa como o andar da noite!

As coisas incríveis que eu te contava
e me deixavam hirto de surpresa
na solidão da vila quieta!...
Que eu vinha alta noite
como quem vem de longe
e sabe o segredo dos grandes silêncios
- os meus braços no jeito de pedir
e os meus olhos pedindo
o corpo que tu mal debruçavas da varanda!...

(As coisas incríveis eu só as contava
depois de as ouvir do teu corpo, da noite
e da estrela, por cima dos teus cabelos.
Aquela estrela que parecia de propósito para enfeitar os teus cabelos
quando eu ia namorar-te...)

Mas tudo isso, que era tudo para nós,
não era nada da vida!...
Da vida é isto que a vida faz.
Ah! sim, isto que a vida faz!...
- isto de tu seres a esposa séria e triste
de um terceiro oficial de finanças da Câmara Municipal!...
*
Manuel da Fonseca

sexta-feira, 5 de Setembro de 2008

Oil And Blood


In tombs of gold and lapis lazuli
Bodies of holy men and women exude
Miraculous oil, odour of violet.

But under heavy loads of trampled clay
Lie bodies of the vampires full of blood;
Their shrouds are bloody and their lips are wet.

William Butler Yeats

Zeca Afonso - Vampiros

quarta-feira, 3 de Setembro de 2008

Joy Division - Disorder

Dizia Uma Vez Aquilino...


Dizia uma vez Aquilino que em Portugal
os filósofos se exilavam ainda em seu país
(v.g. Spinoza). O curioso porém
é que também ninguém foi santo lá:
os nascidos em Portugal foram todos sê-lo noutra parte
(St. António, S. João de Deus, etc.)
e outros santos portugueses, se o foram,
terá sido, porque, estrangeiros que eram e em Portugal
vivendo, não tiveram outro remédio
(v.g. Rainha Santa) senão ser santos,
à falta de melhor. Oh país danado.
Porque os heróis também nunca tiveram melhor sorte
(Albuquerque e outros que o digam) a menos que
tivessem participado de revoluções feitas
"em vez de" (v.g. o Condestável que fez
fortuna e a casa de Bragança e acabou só Santo quase).


Jorge de Sena

terça-feira, 2 de Setembro de 2008

Le Bonheur Est Parti


Le bonheur est parti
on le demande ailleurs
mais la terre est trop petite pour un trop grand malheur
le bonheur en partant
a dit qu'il reviendrait.


Jacques Prévert

Popeye on Family Guy

segunda-feira, 1 de Setembro de 2008

Já Não Me Importo


Já não me importo
Até com o que amo ou creio amar.
Sou um navio que chegou a um porto
E cujo movimento é ali estar.

Nada me resta
Do que quis ou achei.
Cheguei da festa
Como fui para lá ou ainda irei

Indiferente
A quem sou ou suponho que mal sou,

Fito a gente
Que me rodeia e sempre rodeou,

Com um olhar
Que, sem o poder ver,
Sei que é sem ar
De olhar a valer.

E só me não cansa
O que a brisa me traz
De súbita mudança
No que nada me faz.

Fernando Pessoa