quinta-feira, 28 de junho de 2007

Penélope


Mais do que sonho: comoção!
sinto-me tonto, enternecido,
quando, de noite, as minhas mãos
são o teu único vestido.
E recompões com essa veste,
que eu, sem saber, tinha tecido,
todo o pudor que desfizeste
como uma teia sem sentido;
todo o pudor que desfizeste
a meu pedido.
Mas nesse manto que desfias,
e que depois voltas a pôr,
eu reconheço melhores dias
do nosso amor.


David Mourão-Ferreira

3 comentários:

ruby disse...

aranha de neve
em céu azul-escuro

teia de flocos
em torvelinhos de linhas
e de mar

de mar como os olhos
de areia como as mãos

de nós tecido
como um coração só

scorpia disse...

Tenho uma reclamação a fazer:
mas porque raio de circunstâncias é que no teu blog existem meninas que escrevem coisas com tanta piada q parecem declarações amorosas? Hummmm...suspeito! Eu acho que existe uma grande cabala contra mim....Ninguém comenta com escritos assim!
;) Sortudo!
Bjinhos!

eu, maria! disse...

pois, pois...
é a legião de fãs de certos e determinados blogues...!

depois, espantam-se que haja para aí comunicados de certos e determinados sindicatos de bloguistas...eles impõem-se! lol

dear scorpia, acho melhor ligares para o sindicato e marcares hora... :)